Blog do Abdon | A última bala do PT?

Por Sem Comentarios
Facebook Whatsapp
De todas as tentativas petistas de vitimização que acabaram resultando em fracasso, esta talvez seja a mais positiva para o País: A desistencia de candidatura caso Lula seja preso!


Com exceção dos boatos espalhados nas redes sociais a respeito de uma possível renúncia coletiva dos deputados do PT caso Luiz Inácio seja preso. O PT vêm assumindo a passos lentos seu verdadeiro viés: autoritarista e revanchista. O partido que, outrora se dizia de "Centro" para não assustar a classe média produtiva e os empresários, finalmente não tem mais motivos para esconder sua verdadeira face. Desde o impeachment de Dilma Rousseff, passando pelos processos que correm contra o ex-presidente condenado e "hepta-réu", os petistas pregam discursos de total desrespeito às instituições jurídicas, defendendo a tese de que o impedimento foi um "golpe", de que Luiz Inácio está sendo perseguido pelo juiz Dr. Sérgio Fernando Moro ( criando assim uma batalha inexistente entre o acusado e o magistrado) e que um eleição sem a presença do ex-metalúrgico seria uma "fraude". 

Cessando as balas que permitiam ao PT pleitear algum espaço dentre as aspirações políticas do país para 2018, resolveu-se por transformar Lula numa figura heroica, comparando-o a outros ídolos socialistas e comunistas, a exemplo de Che Guevara, Hugo Chávez e tantos outros, na tentativa de torná-lo um símbolo da tal "luta" esquerdista que ao passar dos séculos mostrou-se infinita: ora, tanta luta jamais impediu que a esquerda fosse negada e refutada pela maioria das populações em todo o mundo, fato pelo qual o socialismo só funciona em regimes autoritários (perto de nós está o exemplo venezuelano). 

Luiz Inácio hoje, aparece em primeiro lugar na maioria das pesquisas, todavia, contando com cerca de 35% em todas elas, sem contar as consultas nas quais o ex-presidente aparece com menos que isso. Lula deixou de ser "unanimidade" nas cidades do interior do Nordeste, como ficou comprovado graças à sua patética campanha antecipada a bordo de um ônibus executivo. O Bolsa-Família já não convence mais o povo que parou de se acostumar com migalhas. Lula usou os quase 200 milhões de votos das quatro campanhas vitoriosas do PT à presidência como biombo para suas perversas falcatruas. Lula foi transformado num ícone incontestável e quase "canonizado". Não se pode falar mal dele sem correr o risco de ser chamado de "coxinha, reaça, golpista, fascista", etc. 

A minha humilde ideia é de que Luiz não será nem preso, nem presidente. Caso se confirme a nova tentativa petista de enganar os brasileiros, será o primeiro serviço que prestarão ao Brasil: livrarão Sérgio Moro da "culpa" de condenar Lula, deixarão o caminho livre para Bolsonaro, Marina, Doria, Ciro e afins. Mas, ao mesmo tempo, empurrarão contra a mídia a responsabilidade por ter afastado o cansado, humilhado e coitadinho do Luiz Inácio. Seria um tiro no pé. Lula continuaria vivo politicamente endossando o candidato do PT, mas, desgastado como está, tanto física quanto politicamente, jogaria a última pá de cal sobre o esquife da maior organização político-criminosa da história do país. Petistas, façam isso. É o maior favor que poderiam fazer ao povo brasileiro que não quer a volta forçada do protótipo de ditador com complexo de ídolo que vocês teimam em chamar de "presidente" e de "inocente".



0 comentários

COMENTE VOCÊ TAMBÉM: